quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Arranjos de parede bem-sucedidos

Depois de colocar os móveis, a sensação é de que ainda falta alguma coisa? Uma afinada composição de quadros pode deixar qualquer ambiente mais bonito. “Posicione o centro do conjunto a cerca de 1,60 m do piso. Esse é um dos truques dos museus para manter as imagens confortavelmente ao alcance dos olhos”, ensina o designer Gustavo Jansen. A seguir, conheça bons exemplos da Casa Cor São Paulo, inspire-se e faça daquela parede apagada a atração da casa!


Telas enfileiradas, como em uma exposição - Ao dispor três quadros em perfeito alinhamento horizontal, o arquiteto Flavio Beugger criou uma situação de galeria na copa do lounge do consultório: a sucessão de obras conduz o olhar. A união de moldura preta reta com passe-partout branco é a predileta do arquiteto: "além de ser uma escolha clássica, delimita e destaca a imagem". "Aproveitei o vão formado entre a bancada e os armários suspensos, mas essa ideia também funciona em paredes livres", explica Flavio. Cada uma das fotos recebe luz de um ponto exclusivo. Embutida na marcenaria, a solução faz de lâmpadas dicroicas compostas de leds, que oferecem foco dirigido e alta definição de cores.

Retângulo imaginário - A arquiteta Paula Magnani adotou essa figura geométrica como referência ao montar a composição sobre a escrivaninha do Quarto do Jovem. "Mas não segui o contorno exato, pois queria um resultado menos comportado", conta. A mescla de itens deu o tom: pôsteres e fotografias se unem a superfícies menos comuns, como as placas de acrílico que estampam pin-ups e a chapa metálica amarela no topo. Formar sequências com duplas ou trios de peças semelhantes cria um efeito bacana. "Não é regra, mas o segredo de uma paginação harmoniosa pode ser a formação de pequenos arranjos dentro de um arranjo maior", revela Paula.

Com ar de painel - Eis uma formação absolutamente simétrica - e nem por isso caretinha! Repare como são descolados os quadros que enfeitam a Biblioteca do Ator, da arquiteta Patrícia Novoa. Assinadas por Beto Reginik, as fotos fazem parte da série Sprays Poéticos. Nenhuma ganhou passe-partout: "Há imagens que pedem essa liguagem mais direta. Avalie caso a caso", fala Patrícia. Vidros são bemvindos. "Use-os se quiser garantir a longevidade das gravuras", orienta a arquiteta. "E, sim, compensa investir na versão antirreflexo!".

http://casa.abril.com.br/materia/arranjos-de-parede-bem-sucedidos#1

2 comentários:

  1. O segundo é o meu favorito, gosto deste mix de quadros!
    Beijos
    Tereza

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por postar seu comentário. Um grande abraço.

    ResponderExcluir